Momento certo de investir em imóveis

Fonte: http://www.ademi.org.br/article.php3?id_article=70119&recalcul=oui

Para muitos, a compra do imóvel no atual momento não é um bom negócio por conta das incertezas políticas e econômicas. Diversos especialistas, aliás, se mostram contra a aquisição e venda por conta de uma possível desvalorização. Mas, ao analisar com mais frieza e fazendo uma análise mais aprofunda, é possível ver que investir em um novo apartamento ou casa pode ser muito mais lucrativo em longo prazo se a aquisição for feita agora.

Segundo o advogado especialista em Direito Imobiliário, Paulo Akiyama, dependendo do motivo pelo qual a pessoa quer investir, seja em imóvel na planta ou não, o momento pode ser o mais adequado, em função da demanda de oferta e procura e também dos preços baixos. "No atual momento não há diferença para aqueles que pretendem mudar de posição, ou seja, vender um imóvel para adquirir outro, pois venderá seu imóvel na baixa e comprará também na baixa. Assim como para quem tem recursos e deseja comprar imóveis para imobilizar parte de seu capital, o momento também é propício, pois, com o mercado em baixa, o poder de barganha é bom, podendo realizar bons negócios", explica.

Mas, de acordo com o advogado, para quem deseja apenas vender o imóvel, não é a hora ideal. "Quem quer apenas vender, precisa ficar atento, pois não é um momento bom. É uma decisão muito difícil de ser tomada, porém, casos isolados devem ser analisados com profundidade para que não sejam um desperdício de bens e dinheiro. Por exemplo, se a pessoa tiver uma dívida grande e a venda do imóvel resolver o problema, certamente a perda que terá com a venda será menor do que a perda que tem com os juros que está pagando", afirma Paulo Akiyama.

Por fim, o especialista deixa algumas dicas para quem realmente pretende fazer um investimento imobiliário. "Busque informações cadastrais da construtora, pois é muito importante em razão da solidez da estrutura financeira de quem está construindo para, também, garantir a cobertura por responsabilidade técnica de eventuais problemas de construção. Leia atentamente o memorial descritivo, ou seja, o que prometem entregar ao comprador, em especial o tipo de cabeamento elétrico, hidráulica, pintura, pisos, louças sanitárias etc. Por último, analise com cautela a documentação e contrato, evitando possíveis problemas futuros com a construtora", conclui Akiyama.

Dinheiro da conta inativa do FGTS pode ser usado

Quem tem saldo para receber da conta inativa do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) pode aproveitar para utilizar na compra da casa própria ou até mesmo para abater o saldo devedor do financiamento imobiliário. Também é possível quitar ou pagar dívidas, se tiver. Vale lembrar que todo trabalhador pode usar o dinheiro da conta vinculada do fundo na aquisição da moradia. Só é preciso seguir as regras do Conselho Curador do FGTS. Entre elas, não possuir imóvel em seu nome e ter pelo menos três anos de carteira assinada.

Quem tem direito ao saque dos antigos saldos

De acordo com a MP 763/16, o trabalhador que pediu demissão ou foi demitido por justa causa até 31 de dezembro de 2015 pode sacar o saldo da conta vinculada, estando ou não fora do regime do FGTS, respeitado o calendário publicado pela Caixa, que tem como base a data de nascimento dos titulares das contas. Exemplo: este mês serão pagos os aniversariantes de março, abril e maio. Antes da MP, o trabalhador somente poderia sacar caso permanecesse três anos fora do regime do FGTS, em caso de aposentadoria e utilização para moradia, dentre outros.